Truculência da polícia de Alckmin

Giuliana Vallone, repórter da Folha, foi atingida por um disparo de bala de borracha da tropa de choque da Polícia Militar

Polícia atira contra ativistas durante manifestação contra o aumento das tarifas do transporte público em São Paulo

Manifestantes ajoelham-se diante de policiais durante mais um ato contra o aumento das tarifas do transporte público na capital paulista

Ativistas ajoelham-se em frente a policiais durante manifestação contra o aumento das tarifas do transporte público em São Paulo

Manifestantes criam barricada contra avanço da polícia durante protesto no centro de São Paulo.

Polícia atira balas de borracha durante ato contra o aumento das tarifas do transporte público de São Paulo; houve conflito com manifestantes.

Manifestantes pela redução das tarifas do transporte público em São Paulo caminham na rua da Consolação.

Manifestantes concentram-se na praça Ramos de Azevedo, em frente ao Teatro Municipal, no quarto ato contra o aumento das tarifas do transporte público em São Paulo.

Anúncios

Primeiro de maio pelo mundo e a juventude em 2013

Daniel Faria e Daniel Ribeiro*

“Nós propomos refazer as coisas.
Estamos fartos de trabalhar para nada,
escassamente para viver,
jamais uma hora para pensar.”

Esses versos eram cantados nas manifestações de trabalhadores norte-americanos no fim do século XIX, momento histórico em que foi travada uma forte batalha por condições justas de trabalho no mundo todo. Afinal, a jornada de trabalho era de 19 horas diárias, e muitas mortes, durante ou em consequência desta jornada, eram registradas nas fábricas daquele período. A palavra de ordem, então, poderia ser sintetizada na famosa frase: “oito horas de trabalho, oito horas de descanso e oito horas para o que nos der ganas”. Continuar lendo

1º de Maio: 50000 jovens, entre estudantes e combatentes, encerrarão o desfile na Praça da Revolução

Uma multidão de 50000 jovens, como herdeiros e continuadores do processo revolucionário cubano, encerrarão o desfile deste primeiro de Maio na Plaza da Revolución, afirmou Juan Carlos Arteaga Portuondo, membro do Escritório Provincial da União de Jovens Comunistas (UJC) na capital.

A União da Juventude Socialista divulga nota de pesar sobre a morte Hugo Chávez

A União da Juventude Socialista publicou nota de pesar em referência a morte do presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

Leia abaixo a íntegra da nota.

Hasta siempre comandante!

A América Latina, Nuestra America, perde hoje um de seus mais destacados líderes. Em rede de televisão aberta e ao vivo o vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou a morte do Comandante Hugo Chávez.

Quando Eduardo Galeano escreveu o livro “As veias abertas da América latina” éramos um continente de joelhos para as grandes potências, vivíamos em quase todas as partes nas sombras de ditaduras assassinas e entreguistas.

Hugo Chávez é um dos maiores símbolos da luta por transformar este pedaço de terra tão rica, de um bravo povo, em “la gran patria latinoamérica”!

Temos a certeza que a revolução bolivariana, que fortaleceu a democracia participativa através dos círculos bolivarianos e dos conselhos comunais, que erradicou o analfabetismo, enterrou a Alca (Área de Livre Comércio das Américas), que tem a menor desigualdade social de toda a América do sul e proclamou o socialismo do século 21, continuará, lidera por Nicolás Maduro, a realizar os grandes feitos revolucionários iniciados por Hugo Chávez.

Estamos seguros de que o povo venezuelano, com sua bravura revolucionária, saberá superar este momento de profunda dor – dor que também sentimos – e continuarão o caminho da libertação, justiça, democracia e paz.

Como disse o vice-presidente Nicolás Maduro, “que em nosso coração haja o único sentimento de nosso comandante, amor pela pátria”.

Hasta Siempre Comandante Chávez!

União da Juventude Socialista.

Fonte: Página da UJS

Estudantes voltam a enfrentar a polícia no Chile

Estudantes voltam a enfrentar a polícia no Chile

A polícia dissolveu a manifestação com gás lacrimogêneo e jatos de água. Os estudantes responderam jogando paus e pedras.

Protestos no Chile

No ano passado, os estudantes protagonizaram mais de 40 passeatas pelo centro de Santiago, algumas delas consideradas as maiores das últimas duas décadas

Santiago – Estudantes e policiais voltaram a se enfrentar nesta quinta-feira no centro de Santiago depois de dissolvida uma manifestação não autorizada, a primeira do ano, para reclamar uma educação pública gratuita e de qualidade.

A manifestação foi convocada pela Assembleia de Coordenação de Estudantes Secundários (Aces), uma organização que reúne parte dos alunos dos principais colégios de Santiago, e não conseguiu o apoio da Confederação de Estudantes do Chile (Confech), que congrega as principais universidades do país.

A polícia dissolveu a manifestação com gás lacrimogêneo e jatos de água. Os estudantes responderam jogando paus e pedras.

A polícia não informou ainda sobre número de presos ou pessoas detidas.

A imprensa local calculou em cerca de 3.000 o número de estudantes reunidos.

Os estudantes reclamam desde o ano passado melhorias na qualidade da educação e gratuidade, em um país que conta com um dos sistemas de ensino mais desiguais do planeta.

No ano passado, os estudantes protagonizaram mais de 40 passeatas pelo centro de Santiago, algumas delas consideradas as maiores das últimas duas décadas por reunir mais de 100.000 pessoas.

Fonte: Exame

Juventude agradece congelamento da tarifa

Fotos: André Moreira
Juventude agradece congelamento da tarifa

clique para ampliar

No final da tarde desta terça-feira, 5, representantes da juventude sergipana se reuniram no Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos com o prefeito Edvaldo Nogueira. Membros da União Nacional dos Estudantes, da União da Juventude Socialista, dos Centros Acadêmicos e Diretórios dos Estudantes das Universidades de Aracaju e jovens filiados aos mais variados partidos políticos foram agradecer o chefe do executivo municipal por ter congelado a tarifa do transporte público coletivo.

Durante o encontro, o prefeito explicou que tomou a decisão depois de três meses de estudos técnicos que apontaram: as empresas do transporte coletivo estavam equilibradas financeiramente e poderiam suportar bem o congelamento. O prefeito também lembrou aos jovens que sua preocupação era justamente com a juventude, com os estudantes e os trabalhadores, “justamente os mais penalizados com os reajustes da tarifa”, declarou Edvaldo.

O prefeito lembrou que sempre lutou para manter seu compromisso histórico com os interesses do povo e que, ao longo da sua gestão, sempre concedeu aumento bem abaixo do valor da inflação. “Também é bom lembrar que reajustes sempre foram concedidos bem abaixo dos valores solicitados pelos empresários. Nunca chegamos nem a igualar”, disse o prefeito, pedindo aos estudantes que lutem em prol da licitação do transporte público municipal, uma das soluções definitivas para a melhoria do serviço na capital Sergipana.

O presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Faculdade de Sergipe (Fase), Felipe deFaria Barbosa, agradeceu o congelamento da tarifa e falou sobre a boa surpresa recebida.”Foi uma tranquilidade muito grande ouvir que o valor da passagem seria congelado. Essa era uma das reivindicações dos dos DCEs da Facar, da Estácio e da UFS e ficamos felizes porque o prefeito Edvaldo Nogueira entendeu que um aumento iria mexer muito com o orçamento familiar, não só dos estudantes, mas de toda família Aracajunana”, disse.

Para Francisco Mendonça, Presidente do Centro Acadêmico de Direito da Universidade Tiradentes (Unit), o prefeito de Aracaju foi feliz em sua decisão que irá beneficiar diretamente os milhares de estudantes não só de Aracaju, mas de todos os municípios beneficiados com a integração. “A gente recebeu a notícia de maneira muito feliz porque apesar de não parecer, na Unit, grande parte dos alunos são de baixa renda e dependem do transporte coletivo para chegar até a aula. Pra gente essa foi uma grande vitória, o estudante vai poder manter as finanças equilibradas. Isso deixou a gente muito feliz”, declarou.

O presidente do DCE da UFS, Bruener Zalkowitsch, parabenizou o prefeito pela iniciativa

O presidente do DCE da UFS, Bruener Zalkowitsch, também foi parabenizar o prefeito Edvaldo Nogueira por não ter concedido aumento no preço da passagem de ônibus. Ele disse ainda que qualquer reajuste iria pesar no orçamento, dificultando a vida dos que dependem do transporte público para estudar. “Para os estudantes foi uma notícia muito boa, porque contempla as nossas necessidades. Uma grande vitória para a população que utiliza o transporte diariamente, assim como para dos estudantes que dependem do transporte público coletivo”, destacou Bruener.

Interesses do povo

Já a Presidente da Juventude Socialista do Brasil, Niully Nayara Campos, disse que o não reajuste é uma grande vitória para o povo de Aracaju. Ela colocou a juventude socialista à disposição para auxiliar a prefeitura nos projetos que possam beneficiar a juventude e a sociedade em geral. “Vim aqui hoje para agradecer, oferecer o apoio da juventude do PSB e dizer que somos parceiros. Fico muito feliz de participar desse momento, comemorando essa grande vitória do povo Aracajuano, da juventude, da nossa galera”.

Niully também parabenizou o prefeito pelo apoio incondicional prestado à juventude e por governar com o olhar voltado para os que mais necessitam. “Sei que é muito difícil para nós, que fazemos parte de um bloco socialista, governar num país capitalista em que o gestor precisa ter inteligência emocional para conseguir equacionar os interesses daqueles que fazem a máquina da economia girar, num interesse maior que é o bem geral da população. Eu quero parabenizar o prefeito Edvaldo Nogueira por esse gesto e por essa grande conquista que é uma vitória para o povo de Aracaju, dos trabalhadores e da estudantada”, declarou a presidente.

Melhorias

clique para ampliar

Durante o bate-papo com o prefeito, Sérigo Alves, secretário da juventude do PT em Sergipe, relembrou os momentos em que andava de ônibus antes das melhorias promovidas pela atual gestão. “Tem muita gente que não se lembra, mas há dez, doze anos atrás, era um martírio muito grande andar de ônibus em Aracaju. Hoje as coisas melhoraram sensivelmente”, frisou.

clique para ampliar

A vereadora Karla Trindade, também presente ao encontro, destacou que o governo Edvaldo Nogueira devolveu à juventude e ao povo de Aracaju o direito de sonhar. “O que está se fazendo  hoje na cidade de Aracaju é um orgulho para todos os que vivem aqui. Temos uma gestão que está legislando em prol dos interesses do povo, do que mais precisam, e está aí uma prova, que é o congelamento da passagem”, destacou Karla, dizendo que a atitude é uma mostra clara de que lado está o prefeito de Aracaju.

Vejam as fotos (Fotos: André Moreira)

clique para ampliar
clique para ampliar
clique para ampliar
clique para ampliar

Governo do PSDB corta 38% da verba das universidades

Governo do PSDB corta 38% da verba das universidades

Os estudantes da Universidade Estadual de Maringá ocuparam a reitoria contra o corte de 38% do orçamento feito pelo governador Richa.

Foi anunciado no fim de 2010 um corte de 38%, cerca de 20 milhões de reais, da Lei Orçamentária Anual (LOA) na verba de custeio das sete universidades estaduais do Paraná.

Na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) o corte representa uma diminuição de R$ 2,5 milhões. O próprio reitor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Júlio Santiago Prates Filho, elaborou uma emenda para que não haja corte, mas não foi votada.

Esta verba de custeio é utilizada para manter estagiários, bolsas, restaurante universitário, papel, material de limpeza, etc. É uma redução que afeta principalmente a assistência estudantil e alguns estudantes deixam de receber auxílio.

A queda das condições de vida dos estudantes já está sendo sentida. A mobilização estudantil é a maneira encontrada de reagir a este duro ataque à universidade pública.

A crise econômica mundial tem afetado todos os países do mundo e a orientação do FMI para o governo federal, adotado também pelos estaduais, é cortar os gastos públicos com saúde e educação e dar dinheiros para bandos e empresas.

Os estudantes ocuparam a reitoria para barrar o corte de 38% de custeio pelo governo de Beto Richa do PSDB da instituição.

A política da direita brasileira é destruir as universidades públicas. As universidades estão sucateadas e a mobilização é generalizada com a greve em 51 instituições demonstra isso. Em São Paulo o governo do PSDB não fez isso declaradamente, mas indicou para intervir na USP, João Grandino Rodas, que colocou a polícia militar no campus universitário, reprimiu greve de funcionário, abriu processo contra estudantes, tem um plano para demitir em massa os funcionários e contratar profissionais terceirizados, destruindo a instituição e preparando terreno para a colocação nas mãos da iniciativa privada.

Veja aqui vídeo produzido pelos estudantes na ocupação da Universidade Estadual de Maringá

Fonte: PCO