Frente Guasu disputa presidência com médico e líder camponês

Corrida eleitoral começou oficialmente na segunda (18)

Da Redação

AnibalCarrillo-LuisAguayo-tp

Começou oficialmente na segunda-feira (18) a corrida eleitoral no Paraguai. A Frente Guasu formalizou a candidatura do médico Aníbal Carrillo para presidente e do líder camponês Luis Aguayo para vice. Fernando Lugo também volta ao cenário político como candidato a senador, o que já havia adiantado em entrevista no ano passado em São Paulo (SP), onde esteve para tratamento médico – assista abaixo um depoimento de Lugo sobre os candidatos da Frente Guasu.

Determinante

Mais que disputas internas no Paraguai, a corrida eleitoral está sendo considerada determinante para a democracia do país, colocada sob suspeita com o golpe parlamentar em junho de 2012 que tirou Lugo da presidência, substituído por seu vice, Federico Franco. Está em jogo as relações do Paraguai com os países dos blocos Mercosul e Unasul, além da Organização dos Estados Americanos (OEA) – por causa do golpe contra Lugo, o país foi punido no Mercosul e na Unasul por quebra da ordem democrática.

Conservadores

Federico Franco apoia o Partido Liberal, que tem Efrain Alegre como candidato a presidente. Também fora de alianças, o Partido Colorado disputa a eleição com o empresário Horacio Catres, enquanto o restante da oposição se reuniu na aliança Avança País, que disputa com o ex-apresentador de televisão Mario Ferreiro e a vice Cynthia Brizuela Speratti.

Pela primeira vez no Paraguai, duas mulheres também disputam a presidência. A ex-ministra Lilian Soto faz dobradinha com a líder camponesa Magui Balbuena na chapa do partido Kuña Pyrendá (‘plataforma de mulheres’, em guarani), criado no ano passado.

Observadores

Há uma disputa do governo Federico Franco contra a Unasul e o Mercosul, blocos que passaram a ser duramente criticados pelo substituto de Lugo. Franco proibiu que uma comissão da Unasul acompanhasse as eleições como observadores. A disputa chegou à Justiça Eleitoral, que vai oficializar ao Poder Executivo a concessão de imunidade diplomática para uma missão técnica de observação de membros da Unasul.

Entretanto, Franco já garantiu a presença de uma delegação da OEA enviada pessoalmente pelo secretário-geral José Miguel Insulza, cujo parecer no ano passado atestou o golpe parlamentar contra Lugo considerando-o constitucional.

A campanha eleitoral segue até 18 de abril. A votação marcada para o dia 21 e, apesar das disputas com observadores internacionais, a Justiça Eleitoral paraguaia garante que tem condições de dar segurança a todas as delegações que chegarem ao país, independentemente da decisão de Federico Franco.

* Com informações da emissora multiestatal de TV, Telesur e da agência pública de notícias do Paraguai, IPParaguay

Fonte: Caros Amigos

Anúncios

Encerramento da campanha de Mario Ferreiro

O presidenciável paraguaio Mario Ferreiro, candidato esquerdista mais bem colocado nas pesquisas de intenção de votos, escolheu fazer o ato de encerramento de sua campanha na Plaza de la Democracia, local do centro histórico em que, tradicionalmente, os movimentos sociais realizam suas principais manifestações.

Ao contrário do que pode parecer pelas fotos, a praça não estava lotada. Longe disso. Apenas metade de seu espaço, que é de uma quadra completa, estava ocupada. Entre músicas, fogos, danças e várias dezenas de barraquinhas de comida e bugigangas, Mario fez seu último discurso público antes da eleição de domingo. Entre outras coisas, falou na escolha de sua legenda como um “voto útil”; mencionou a importância de recordar os desaparecidos da ditadura militar de Alfredo Stroessner (54-89); ressaltou o papel das mulheres na construção do país; e frisou a necessidade de o país ter um “presidente legítimo”, referindo-se ao golpe de Estado que destituiu o ex-presidente Fernando Lugo.

Lugo, aliás, não faz parte da coligação de Mario, a Avanza País (nestas eleições, os candidatos progressistas compõem três frentes diferentes). No entanto, o ex-presidente foi mencionado diversas vezes no discurso de Mario, que mostrou apoio a Lugo frente aos golpistas.

Fonte: http://eleicoesnoparaguai.wordpress.com/

Paraguaios que vivem em outros países também poderão votar

Do total de 3.516.273 de eleitores paraguaios, 21.981 estão no exterior.

Nos próximos dias, um 19 delegados eleitorais viajarão à Argentina, à Espanha e aos Estados Unidos para viabilizar essa votação. Leia mais aqui.

O TSJE já entregou o material que será enviado aos eleitores estrangeiros:

Cargos em disputa

No próximo domingo (21), os paraguaios escolherão presidente e o vice; 45 senadores titulares e 30 suplentes; 80 deputados titulares e 80 suplentes; 17 governadores; 17 Juntas Departamentais; além de 18 Parlamentares titulares do Mercosul, com mais 18 suplentes.

Fonte: http://eleicoesnoparaguai.wordpress.com/

Todos os candidatos à Presidência

 
Cédula de votação das eleições paraguaias

No domingo (21), os paraguaios escolherão, entre dez nomes, seu novo presidente. A lista oficial, incluindo o nome dos vices, está disponível no site do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE). Clique aqui para acessar.

Entre os principais concorrentes apontados pelas pesquisas, destacam-se Efraín Alegre, do governista Partido Liberal; Horacio Cartes, do Partido Colorado, que governou o Paraguai por 61 anos; e o esquerdista Mario Ferreiro, do movimento Avanza País.

Embora apareça como candidato, Lino Oviedo Sanchéz, sobrinho do ex-general Lino Oviedo (morto em um acidente de helicóptero em fevereiro), desistiu da disputa na semana passada. Seu partido, a União Nacional dos Cidadãos Éticos (Unace), decidiu apoiar Efraín Alegre.

Confira acima a cédula de votação que será usada no domingo

Fonte: http://eleicoesnoparaguai.wordpress.com/

A segurança durante as eleições paraguaias

No Paraguai, um dos temas mais recorrentes nos debates que precedem as eleições do próximo domingo (21) é a credibilidade do processo que escolherá o sucessor de Federico Franco. Se, por um lado, o atual governo tenta mostrar a capacidade de realizar uma votação tranquila e transparente, alguns setores da oposição demonstram total falta de confiança. O presidente deposto Fernando Lugo, que concorre a uma vaga no Senado, disse ao site argentino InfoBae que teme uma “jornada eleitoral violenta”.

“Esperemos que se repita a transparência e tranquilidade de 2008 [quando ele foi eleito presidente], mas o ambiente está enrarecido. O tom está subindo com o passar dos dias, e isso é um presságio de violência”, afirmou.

Em 4 de abril, o Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE) do Paraguai denunciou uma tentativa de atentado contra uma de suas funcionárias, a diretora de Recursos Humanos Jazmín Barrios. O ataque foi durante a madrugada, em Assunção. Os atiradores, que não foram identificados, dispararam 19 vezes.

Segundo o Ministro do Interior, Carmelo Caballero, a maior parte dos policiais serão destinados a proteger o Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE) e os centros de votação, além das ruas.

De acordo com o TSJE, 313 observadores internacionais trabalharão no domingo.

Fonte: http://eleicoesnoparaguai.wordpress.com/

Misión de la OEA en Paraguay inicia despliegue final

La Misión de Observación Electoral y Acompañamiento Político de la Organización de los Estados Americanos (MOE/OEA) en Paraguay, instalada en el país desde el mes de febrero, inicia su despliegue final de cara a las próximas elecciones generales del 21 de abril. Esta semana, la subjefatura de Misión llegó al país con el objetivo de mantener reuniones con los distintos actores del proceso electoral y dar seguimiento a la organización de los comicios. Durante los próximos días se irá incrementando progresivamente el número de técnicos/as y observadores/as de la OEA en el país, quienes conformarán una Misión de alrededor de 55 personas provenientes de distintos países de la región. El jefe de Misión, el ex Presidente de Costa Rica y Premio Nobel de la Paz, Dr. Óscar Arias, llegará a Paraguay en los próximos días.

Desde su arribo al país, la Misión ha seguido de cerca el desarrollo de la organización de las elecciones. Un equipo de observadores/as ha recorrido 12 de los 17 departamentos del país y la Capital con el objetivo de recibir información por parte de las autoridades electorales locales, representantes de partidos políticos y de la sociedad civil sobre el desarrollo del proceso. Asimismo, la MOE/OEA estuvo presente en la realización del simulacro de Transmisión Rápida de Resultados que tuvo lugar el 24 de marzo pasado.

Siguiendo los mandatos establecidos en la Carta Democrática Interamericana, la Misión de la OEA observa los diferentes aspectos de esta contienda electoral, incluidos aspectos legales, tecnológicos, participación de mujeres y hombres en elecciones, financiamiento de las campañas, entre otros. Asimismo, dará seguimiento a las denuncias, inquietudes o preocupaciones que puedan surgir durante el proceso electoral y las remitirá a las autoridades que correspondan para su procesamiento.

Paraguai vota!

800px-Gran_Palacio_Nacional_de_Paraguay

No próximo domingo, 21 de abril, o Paraguai realizará sua sexta eleição geral após a queda da ditadura do ex-general do Exército Alfredo Stroessner Matiauda, em 1989. Com isso, os mais de 3,5 milhões de eleitores escolherão entre os 10 candidatos oficialmente reconhecidos pela Justiça Eleitoral daquele país.

Este blog vai relatar, ao longo desta semana, a cobertura in loco das presidenciais paraguaias, que se mostram especialmente tensas por serem o primeiro pleito após a destituição do ex-presidente Fernando Lugo, em junho do ano passado.

Fonte: http://eleicoesnoparaguai.wordpress.com/