Estudantes voltam a enfrentar a polícia no Chile

Estudantes voltam a enfrentar a polícia no Chile

A polícia dissolveu a manifestação com gás lacrimogêneo e jatos de água. Os estudantes responderam jogando paus e pedras.

Protestos no Chile

No ano passado, os estudantes protagonizaram mais de 40 passeatas pelo centro de Santiago, algumas delas consideradas as maiores das últimas duas décadas

Santiago – Estudantes e policiais voltaram a se enfrentar nesta quinta-feira no centro de Santiago depois de dissolvida uma manifestação não autorizada, a primeira do ano, para reclamar uma educação pública gratuita e de qualidade.

A manifestação foi convocada pela Assembleia de Coordenação de Estudantes Secundários (Aces), uma organização que reúne parte dos alunos dos principais colégios de Santiago, e não conseguiu o apoio da Confederação de Estudantes do Chile (Confech), que congrega as principais universidades do país.

A polícia dissolveu a manifestação com gás lacrimogêneo e jatos de água. Os estudantes responderam jogando paus e pedras.

A polícia não informou ainda sobre número de presos ou pessoas detidas.

A imprensa local calculou em cerca de 3.000 o número de estudantes reunidos.

Os estudantes reclamam desde o ano passado melhorias na qualidade da educação e gratuidade, em um país que conta com um dos sistemas de ensino mais desiguais do planeta.

No ano passado, os estudantes protagonizaram mais de 40 passeatas pelo centro de Santiago, algumas delas consideradas as maiores das últimas duas décadas por reunir mais de 100.000 pessoas.

Fonte: Exame

Anúncios

Índia realiza sua maior greve desde a independência

Índia realiza sua maior greve desde a independência

 

Milhões de trabalhadores do setor privado e funcionários públicos da Índia iniciaram nesta terça-feira (28) uma greve que, segundo os dirigentes dos principais sindicatos, é a maior realizada no país desde a independência, em 1947.

 

A paralisação afeta setores chaves da economia como transporte e telecomunicações, indústria manufatureira, bancos, mineração e metalurgia, atividade portuária e serviços postais.

Entre as principais demandas figuram o fim da terceirização, a emenda à lei do salário mínimo, o registro obrigatório dos sindicatos em um prazo de 45 dias, entre outras.

Também, a criação de redes de seguridade social universal para os trabalhadores do setor informal mediante a criação de um fundo nacional de seguridade social, a aplicação das leis trabalhistas básicas, e a adoção de medidas contra as pessoas jurídicas o físicas que violem as leis trabalhistas.

As correntes sindicais de todos os principais partidos políticos apóiam a greve, assinalou a agência de noticias IANS.

Há poucos dias, o Partido Comunista da Índia (Marxista) denunciou que o número de desempregados no país aumentou a um ritmo galopante no ano passado enquanto o número de pessoas com fortunas avaliadas em 10 bilhões de dólares chegou a 55, contra nove há 20 anos.

Segundo dados oficiais, na Índia o número de milionários passa de um milhão, ao passo que cerca de 400 milhões de cidadãos vivem com menos de dois dólares ao dia, a despeito dos êxitos macroeconômicos que o gigante asiático exibe.

Organizações sindicais e de defesa dos direitos calculam que mais de 256 mil agricultores indianos se suicidaram de 1995 até os dias de hoje, levados à ruína pelas políticas neoliberais.

Na segunda-feira (27), o primeiro-ministro Manmohan Singh e o ministro do Trabalho, Mallikarjun Kharge, chamaram em vão os tabalhadores a suspoender a greve e a resolver os problemas na mesa de negociações.

Prensa Latina

Debate na USP para a jornada nacional de lutas 2011

Debate na USP para a jornada nacional de lutas 2011

Série de manifestaçãoes terá continuidade durante toda a semana com passeatas em São Paulo, Rio, Brasília e diversas cidades

Aconteceu na tarde desta segunda-feira (21), no tradicional pátio do Largo São Francisco, Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), a abertura oficial da Jornada Nacional de Lutas de 2011 da UNE, UBES e ANPG. Jovens de todo país, como acontece já há vários anos no mês de março, foram convocados a sair às ruas, em atos e manifestações, chamando a atenção da sociedade e do governo sobre as reivindicações do movimento estudantil para os próximos anos.

A luta pelos investimentos na área da educação e as metas do Plano Nacional de Educação (PNE), 10% do PIB e 50% do fundo do pré-sal para a Educação, deram o tom do debate que contou com a presença do presidente da entidade, Augusto Chagas; o diretor da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), Rarikan Heven; o presidente da União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE-SP), Carlos Siqueira; e a representante do Centro Acadêmico XI de Agosto, Maia Aguilera.

Chagas explicou aos estudantes presentes que, nesta edição da Jornada de Lutas, o PNE irá centralizar os debates, especialmente no que se refere ao financiamento. Com o slogan “Por um PNE que esteja a serviço do Brasil”, a mobilização estudantil “vai exigir que 10% do PIB nacional sejam investidos em Educação, assim como 50% do Fundo Social do Pré-sal”, afirmou o presidente da UNE.

“O Brasil todo já está mobilizado. Vamos mostrar a ampla capilaridade do movimento estudantil pelo país, que está disposto a lutar pela transformação da Educação”, complementou Carlos, da UEE. Ele também mencionou a importância de ampliar essa divulgação e envolver mais estudantes nesta batalha.

PNE: a luta das entidades pela educação de qualidade para todos
Sobre o Plano Nacional de Educação (PNE), cujas diretrizes foram elaboradas em 2010 pelo movimento educacional durante a Conferência Nacional da Educação (Conae), foram aprovadas resoluções dentro do movimento estudantil que são emendas para alterar a proposta final apresentada pelo Ministério da Educação ao Congresso Nacional. Durante a Jornada de Lutas, a UNE irá apresentar as suas 59 emendas ao PNE, que serão apresentadas por meio de parlamentares de partidos que já se comprometeram com as reivindicações dos estudantes.

Entre elas, há duas questões que se destacam: a demanda de que a meta de investimento em educação seja de 10% do PIB e a batalha por 50% do Fundo Social do pré-sal para Educação. Quanto a esta pauta, Augusto convocou: “Essa luta não se finda com o veto do presidente Lula. Vamos lutar pela derrubada do veto e, também, pela incorporação dessa bandeira no texto do PNE”.

Semana de mobilização
Durante esta semana, cerca de 120 atividades em universidades públicas e privadas e mais de 40 passeatas ou atos de rua em quase 80 cidades de todos os estados irão chamar a atenção da sociedade sobre a importância de mais investimentos para a educação.

Entre elas, na próxima quinta-feira (24),uma grande marcha tomará conta de Brasília para levar ao ministro da Educação, Fernando Haddad, aos presidentes das casas legislativas e à presidente Dilma Rousseff documento com as reivindicações dos estudantes para o próximo período.

Da Redação

Fonte: UNE

Estudantes gaúchos se preparam para Jornada de Lutas 2011

Estudantes gaúchos se preparam para Jornada de Lutas 2011

Eriane: “Gaúchos vão mobilizar milhares de estudantes e garantir os avanços que o Rio Grande e o Brasil precisam!”

Além das bandeiras de luta nacionais, como o investimento de 10% do PIB e 50% do Pré-Sal para a Educação, os gaúchos tem motivos a mais para mobilizar: “Precisamos aproveitar o momento pelo qual o Rio Grande do Sul passa e superar a herança de desmonte da educação deixada pelo governo Yeda. Pressionaremos para que o governador Tarso Genro, que como ministro criou o ProUni, tenha um enfoque especial para a educação e mantenha diálogo permanente com os movimentos sociais”, afirma a coordenadora estadual do movimento Transformar O Sonho em Realidade e diretora da UNE, Eriane Pacheco.

Na agenda estão a ocupação de universidades como a Unisinos e a Feevale, ambas localizadas no Vale dos Sinos, Região Metropolitana de Porto Alegre, e em especial a Federal de Rio Grande (FURG) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que acontecerão no dia 21/03. Como pauta, estará a contrariedade aos cortes na educação feitos pelo Governo Federal. “A Universidade Federal não pode parar de ampliar o acesso”, destaca Luiza Almeida, diretora da União Estadual dos Estudantes (UEE RS/Livre).

Além disso, acontecerá no dia 24/03, em Novo Hamburgo, grande mobilização envolvendo estudantes secundaristas e universitários, lutando por uma melhor qualidade no transporte público e no dia 28/03, em Porto Alegre, uma grande mobilização estadual. em conjunto com as centrais sindicais e o sindicato dos professores do Rio Grande do Sul, CPERS, pressionando pela destinação de 10% do PIB para a educação com enfoque em assistência estudantil, com um plano específico para o estado. Ainda lutarão pelo resgate da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), sucateada pelos governos anteriores.

A passeata promete ser grande e será marca de mobilização dos estudantes e trabalhadores que “agora abrem a possibilidade de diálogo, o que não exclui aquilo que já é característica nossa: mobilizar milhares de estudantes e garantir os avanços que o Rio Grande e o Brasil precisam!”, lembra Eriane.

Eriane integra o Movimento Transformar o Sonho em Realidade.

De Porto Alegre, Tiago Morbach

Fonte: UJS

Nota do DCE da UFTPR: Não ao fim do meio-passe

Jornada de Lutas 2011

Olá!

Não ao fim do meio-passe

Desde ontem alguns diretores do DCE estão passando nas salas de aula para falar a respeito da Jornada de Lutas 2011.

Essa jornada é organizada em todo o Brasil seguindo as diretrizes da UNE (União Nacional dos Estudantes) e em Pato Branco será realizada no dia 23/03. Não somente o DCE da UTFPR é quem está a frente desse ato, mas outras entidades como a UPE (União Paranaense dos Estudantes), UPES (União Paranaense dos Estudantes Secundaristas), UJS (União da Juventude Socialista), dentre outras como CAs e Grêmios.

O tema da jornada é “Educação tem que ser 10″, pois a pauta nacional será:

-10% do PIB para a Educação; e

-50% do fundo social do Pré-sal para a Educação.

Além disso, e talvez o mais importante, é a pauta municipal para a continuidade do meio-passe estudantil que está sendo ameaçada pelo PL 134/2010, que tem previsão de votação para o final deste mês.

Assim, pedimos para que todos os estudantes se mobilizem e participem de nosso ato público que será realizado no dia 23/03, quarta-feira, às 15h30min na Praça Presidente Vargas.

Sem mobilização não teremos força para garantir a continuidade de nossos direitos.

Mobilidade não é produto, é DIREITO!

Fonte: DCE da UFTPR

Grande ato marcará a semana da Jornada Nacional de Lutas da UNE e UBES em Teresina-PI

Grande ato marcará a semana da Jornada Nacional de Lutas da UNE e UBES em Teresina-PI


No Piauí as entidades estudantis encabeçadas pelo DCE/UFPI realizarão grande ato no dia 24 de março, às 8 horas da manhã. 

Como forma de mobilizar e chamar a atenção da sociedade, os estudantes realizarão manifestações em todo o Brasil entre os dias 21 e 25 de março. Trata-se da tradicional Jornada Nacional de Lutas, que acontece anualmente. Os estudantes do ensino básico e superior estarão mobilizados reivindicando melhorias para a educação brasileira, através das suas entidades representativas: União nacional dos Estudantes – UNE, União Brasileira dos Estudantes Secundaristas – UBES e Associação Nacional de Pós-Graduandos – ANPG.

No Piauí, as entidades estudantis encabeçadas pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal do Piauí – DCE/UFPI, União Municipal dos Estudantes Secundaristas – UMES, Centro Colegial dos Estudantes Piauienses – CCEP, Diretório central dos Estudantes do Instituto Federal de Educação, DCE’s de Faculdades Particulares e Grêmios Estudantis realizarão diversas atividades nas instituições de ensino que culminará num grande ato, cuja concentração acontece às 8 horas da manhã do dia 24 de março, na Praça da Liberdade, em Teresina, e será acompanhado de uma caminhada até a Assembléia Legislativa do Piauí.

Na pauta de reivindicações locais, o movimento estudantil pede a melhoria do transporte coletivo que faz linhas para a UFPI, se posiciona contra o processo de jubilamento na UFPI, exige a reestruturação das escolas públicas e contratação de mais professores e protesta contra o veto da presidência da república sobre a distribuição dos royalties do pré-sal entre os estados.

Nos últimos anos os estudantes participaram ativamente de todas as etapas da Conferência Nacional de Educação – CONAE e foram responsáveis por construir importantes consensos e vitórias para a educação brasileira. Em dezembro do ano passado, o governo apresentou a sua proposta para o Plano Nacional de Educação – PNE 2011/2020, constando avanços e recuos em relação ao documento aprovado na CONAE.

O movimento estudantil sairá às ruas de todo o Brasil para garantir entre diversas pautas a aprovação de 10% do PIB para a educação, 50% do fundo social do pré-sal para a educação e por um PNE a serviço do Brasil.

Fonte: UJS

Ato da UJS Sergipe

Ato da UJS Sergipe

O movimento estudantil de Sergipe realiza nesta segunda-feira (21) um ato cobrando a reabertura do refeitório e a reabertura do posto recarga de créditos do cartão Mais Aracaju, além dos temas nacionais como a destinação de 10% do PIB e 50% Pré-Sal para a educação. Devem comparecer várias organizações do movimento estudantil, como os Grêmios Estudantis e a UJS.

UJS - Sergipe